"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

the son of man

Rene Magritte,
por Lothar Wolleh

Acho que nunca trouxe a terreiro pintura. Pese embora não lhe dedique o tempo que deveria, tenho gostos e preferências. Avalio arte sobretudo pelas sensações que me transmite, e as cores, sempre as cores.

Aqui deixo Rene Magritte, sobretudo pela obra the son of man , ou le fils de l'homme, uma das minha obras preferidas. Trata-se de um auto-retrato. Porquê da minha preferência? Implicaria explicar muito de mim, mas são muitas as interpretações desta obra. Magritte é um artista surrealista, influenciado por Freud, pinta imagens surreais com elementos realistas, demonstrando sempre metáforas inteligentes.

Sobre esta obra de eleição, disse o autor o seguinte: Pelo menos ela esconde o rosto parcialmente bem, assim que você tem a face aparente, a maçã, escondendo o visível mas oculto, o rosto da pessoa. É algo que acontece constantemente. Tudo que nós vemos esconde outra coisa, nós sempre queremos ver o que está escondido pelo o que nós vemos. Há um interesse naquilo que está escondido e no que o visível não nos mostra. Esse interesse pode tomar a forma de um sentimento relativamente intenso, um tipo de conflito, pode-se dizer, entre o visível que está escondido e o visível que está presente.

Curiosidade, durante a guerra, com a ocupação alemã, ganhou a vida a pintar imitações de Van Gogh, Picasso ou Cezanne.


the son of man

the lovers

golconda

georgette magritte

6 comentários:

  1. Que bom vir aqui ver um artista que aprecio desde o primeiro contacto que tive com as suas obras :)

    Que bom vir aqui ver um artista que aprecio desde o primeiro contacto que tive com as suas obras :)

    http://fatiferando.blogspot.pt/2016/05/lembram-se-desta4.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora ainda bem.

      Já fui ver, concordamos em muito sobre este senhor. E em muito que se lhe diga este artista.

      Bom gosto diria eu :)

      Eliminar
  2. Concordo. É o que fica oculto o que mais nos desperta interesse :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)

      Muito agradável ficar a pensar nas segundas intenções destas pinturas.

      Eliminar
  3. gosto muito, CC.

    já construí tantas histórias com estes quadros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também gosto, e sim o melhor são as histórias que é possível criará partir destas obras.
      Um dia mostras essas histórias?
      :)

      Eliminar