"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Sem sossego


Bill Brandt

Recebes a mensagem. Lês e pensas: "estou tão longe!". Traças planos loucos, movido pela vontade e desejo. Tens de a arrebatar. Agora. Já.
Sexta-feira sem sossego!

Arrebatada

Eu não quero a ternura
quero o fogo
a chama da loucura desatada

quero a febre dos sentidos
e o desejo
o tumulto da paixão arrebatada

Eu não quero só o olhar
quero o corpo
abismo de navalha que nos mata

quero o cume da avidez 
e do delírio 
sequiosa faminta apaixonada

Eu não quero o deleite
do amor
quero tudo o que é voraz

Eu quero a lava

Maria Teresa Horta 


9 comentários:

  1. Um dos meus fotógrafos. Um dos meus poetas.
    Boa sexta, conta corrente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poeta sim, conhecia claro.

      O fotógrafo foi uma agradável surpresa.

      Obrigado Isabel

      Eliminar
  2. A Laura Ferreira comentou:
    "uma das minhas poetas preferidas de sempre."
    Eu em luta titanica com o telefone
    ...

    ResponderEliminar
  3. Belo dueto, imagem e poema!
    Tenho saudades de me sentir nesse estado alvoroçado...
    Será que a minha pele encorpou o mito da bela adormecida?
    Mas isso não é assunto pertinente, o que importa que gostei imenso deste momento que nos proporcionaste.
    Beijo é bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Sandra, não acredito nada nesse mito. É um mito.

    Os planos tão traçados. Ainda bem que gostaste do poema e da foto, ambos muito bons para mim.

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida, nenhuma.

    Obrigado pela visita.

    ResponderEliminar
  6. ninguém como a Maria Teresa Horta para falar de paixão e de corpo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não, é graficamente apaixonante.

      Teres alguém a sussurar é bom demais :)

      Eliminar