"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Paradise City


Saul Hudson aka Slash

Sou abordado na rua. Um aceno, com desprezo. Como quem chama um escravo. Começa mal. Bom dia. Como está Sr de Tal? Tenho que reclamar consigo. Se fosse de mim era pior, comigo tudo bem. Bom dia correspondente nem vê-lo. Começou o rosário. Falou. Progressivamente aumentou o tom de voz. Aprendi a não  interromper. Adicionou gestos com mãos e braços. Já gritava. Queria intimidar. Sem sucesso. Já não o ouvia. Reparei que as folhas dos plátanos estão em queda, acentuada. Mais andaimes no mosteiro. Arrefeceu, o tempo. O Sr de Tal não. Volto a encarar. Grita e esbraceja. Passa um carro. Pelo vidro saí a música Paradise City, dos Guns and Roses. Sou transportado. Que anos loucos. Paradise City where the grass is green and the girls are pretty. Tempos bons. E o de Tal, grita e esbraceja. Reparo que quem passa já olha para nós. Além da tentativa de intimidação, ganho espectáculo público. Triste. Tenho de acabar com isto. Soluções? Opções? Viro costas. Faço um apelo à calma. Dou-lhe um murro, porque entretanto já sou ladrão. Os acordes do solo do Slash. O carro parou. Saí uma linda jovem. Nem nascida era nestes acordes. É bela. De soslaio, viu o espectáculo. Tinha caracóis. Negros. Tenho filhos. Preciso de comer. Lá se vai o merecido muro. A minha indiferença aumentou na mesma proporção que os gritos, os gestos, a audiência a tão triste espectáculo. Respondo. Baixo. Já percebi. Não percebi porque não ouvi. O melhor é o Sr de Tal passar a escrito essa reclamação. Escreva. Tem mais impacto. Farei chegar aos meus superiores. Apresento-lhe a mão direita. Viro costas. Escrevo? Eu passo por lá e ajudo-o. Mas... mas nada energúmeno,pensei, até te ajudo a escrever.

Caminhei, respirei. Entrei na agência de viagens. Comprei duas passagens para Paradise City.




4 comentários:

  1. Por estes dias não há nada mais bonito que as folhas dos plátanos sobrevoando a rua. Boa viagem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Toda a praça. São plátanos centenários enormes. Mais de 100 anos. Uns 6 a 8 ao todo. É ver as folhas douradas a voarem para Paradise City.

      Não consegui arranjar bilhetes com data de partida definida.

      Pena.

      Eliminar
  2. AHHHH! O mítico concerto em que o estadio de Alvalade esteve quase a ser demolido uns anos antes do suposto...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) havia tão poucos concertos na altura.

      Os poucos, marcaram :)

      Eliminar