"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Inquietude, Isabel Pires

Inquietude 
Isabel Pires 

Este post é para mim. Fica aqui guardado. Tenho medo do Parkinson, e do Alzheimer. Sentimento pueril de que nunca me esquecerei das tuas palavras.

Nesta casa mando eu. Aqui não há encomendas. Aqui há a publicidade que eu quero. (a propósito dos anónimos... que elimino)

A Isabel Pires, que não conheço pessoalmente, é um gosto. É um prazer adquirido. E foi fácil, e foi rápido. E não sei explicar. Nem quero. Só a quero ler.

Há um conforto. Põe-me a pensar, a sonhar. Há todo o seu raciocínio.

É a minha descoberta. Num momento em que Bob Dylan é Nobel da Literatura  (!?!), Donald Trump é presidente dos EUA  (!?!), e Leonard Cohen morreu (!?!), a Isabel Pires resolve equilibrar a minha balança.

Pode parecer estranho. E é. Mas é o meu deleite.

O melhor é o que não se explica!

A Inquietude, da Isabel Pires, chegou. Andou no bolso, depois no carro. Já o li. Foi rápido. Dei por mim a inventar paragens de carro para o ler.

E escrevi. Não disse nada. Nem o rico português me salva.

Mais uma vez. Não quero explicar. Só ler-te.

Resta a minha gratidão.
Resta OBRIGADO Isabel Pires.

"Se eu pudesse dizer 
O que nunca te direi 
Tu terias que entender
Aquilo que nem eu sei"
Fernando Pessoa 

"Há um lugar forrado a seda que ampara as palavras que nos apetece dizer e os sorrisos que deixamos cair.
Nunca contámos a ninguém.
Porque há um lugar que guarda o silêncio dos deuses que deixamos entrar."
Isabel Pires 






18 comentários:

  1. E agora?
    Comoveste-me, sabes? Estou aqui de olhos mais molhados...
    Muito grata, conta corrente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora?
      Desculpa o meu egoísmo.
      Continua a escrever para meu deleite.
      Mais não te posso pedir.
      Ler-te e agradecer-te, só isso.

      Eliminar
  2. Permita[me] este pequeno e humilde desabafo, também tive o privilégio de o ler ou melhor de o devorar e ainda hoje passado algum tempo ainda o releio. Faz[me] bem.

    Bem ajas Isabel!
    Beijo doce Conta Corrente ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, goti!
      Ainda há pouco tempo me falaste de livros... Que bom gostares.
      Beijo

      Eliminar
    2. Ora essa. A Isabel merece.

      Obrigado pelo doce :)

      Eliminar
  3. Conta Corrente, também nutro esse mesmo sentimento pela Isabel, que não conheço pessoalmente. Já lia o nascernapraia -- no feminino, um dos meus blogues preferidos -- há muito tempo quando soube do livro da Isabel...não li ainda mas está na lista. :)
    Deixo-lhe um abraço, a si. Um beijo para a Isabel.
    Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela tua generosidade, Té!
      É bom saber que nos lêem.
      Beijo

      Eliminar
    2. O bom, é que é tão bom que não se explica.
      O blog é fantástico já o tinha dito. O conteúdo, e o sentido estético da Isabel, sem palavras.
      O livro é melhor! Podemos agarrar!

      Eliminar
  4. Taje a bere?
    Eu num te disse-te? Disse, num disse!

    Também já o reli, num rompante! E é um gosto ler e reler...

    Abraço

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toda a razão e mais alguma!

      É para ler, reler, reler, reler... e descobrir sempre coisas novas!

      Abraço

      Eliminar
    2. Não tens de agradecer. Contra factos não há argumentos...

      :)

      Eliminar
  5. ando a ler / saborear aos bocadinhos.
    é aquilo que ela já me habituou: surpresa, abanões na alma, inquietações no espírito. com uma dose de lirismo e verdade que me fazem afirmar que é, de facto, um dos blogs que mais gosto de ler...
    mas quando terminar, aviso. e nessa altura terei certamente muito que escrever no meu sítio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil definir este sentimento. Sim, vai haver muito que escrever, muito. Reler, e saborear.
      Mas sabes, o teu sítio, é igualmente saboroso de ler. Muito mesmo. Mas são sensações diferentes. Tenho dificuldade em escrever e descrever.
      Será fantástico ler-te sobre este livro da Isabel.

      Eliminar
    2. Laura, mas tu ainda não leste o meu livrinho?... Ai :))
      Obrigada!
      Beijo

      Eliminar
    3. terás oportunidade, CC :)

      também gosto muito de aqui vir.
      as palavrinhas, aqui neste teu sítio, fluem e eu gosto disso.

      bom fds

      Eliminar
  6. Também não conheço pessoalmente a Isabel Pires, mas sinto que a conheço. Não tenho (ainda) o Inquietude dela, mas acompanho-a no blog e gosto muito daquilo que escreve e da forma como vê a vida.
    Obrigada pela visita ao Letras. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha modesta opinião é de ler e reler.

      É mais saborear :)

      Eliminar