"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Sentido da vida (de muitos)


Herbert List, 1937

Chamo-me João Teles. Tenho 78 anos. Foi-me diagnosticada uma doença terminal. Os últimos meses foram passados nesta cama. Tubos e aparelhos vários como companhia. Há uma janela. Vejo a copa de uma árvore. Vejo ora o azul, ora o cinzento do céu. Vejo estrelas ou negro puro. Aqui estou. Prorrogam a minha estadia aqui, para não sofrer, dizem. Aqui estou. Espero o dia. Já não me ocupam grandes pensamentos. Já os pensei todos. Agora só espero. Hoje vai ser o dia. Houve um sinal. Um corvo negro luzente na janela.Mandei chamar o meu neto Ricardo. Não tardou a chegar.

- sabes hoje vou morrer. E por isso queria falar-te. Não gostei da minha vida. Errei.

- não diga isso. Todos o adoram.

- sim, eu sei. Todos me adoram. E sei porquê. Porque vivi para todos eles. Vivi sempre para os outros. E por isso te digo que não gostei da minha vida. Esqueci-me de mim. E hoje que tudo vai acabar queria que o soubesses. És igual a mim. Não cometas o mesmo erro. Usei todo o meu tempo nos outros, e nenhum em mim. Não gastes o teu tempo só nos outros. Não li e não vi. Não viajei. Não fiz e não escrevi. As mulheres que não amei. Chego hoje ao último dia, todos me adoram, e eu não gosto de mim, só porque não vivi.

- não diga isso. Hoje não é o último dia. Descanse.

- não te esqueças. O sentido da vida, e o que é realmente difícil na vida, é o equilíbrio entre o que dás e entregas, aos outros e, a ti próprio...

7 comentários:

  1. É uma boa história, triste, também. Mas fiquei a pensar... O equilíbrio é o segredo.

    ResponderEliminar
  2. Eu acredito que um dos sentidos da vida é esse equilíbrio entre o dar a outros e a nós próprios.

    ResponderEliminar
  3. O problema é adiarmos sempre o tempo que deveria ser nosso. Quando damos por isso, o tempo acaba-se.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso. E deve ser triste.

      Por isso acho que este equilíbrio é um dos sentidos da vida.

      Eliminar
  4. A questão é que não podes dar aos outros o que não tens!
    E se és generoso, quanto mais tiveres para ti, mais darás aos outros!
    Se não és, não faz diferença nenhuma, de qualquer das maneiras...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que há muita malta a dar tudo aos outros e a esquecer o próprio.

      Eliminar
    2. Pois mas esses esgotam-se, se não deixarem um pouco para si...

      ...como eu dizia, só podes dar o que tens...

      :)

      Eliminar