"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Fotografia - arte (2)

"A fotografia é o processo, e a arte, que permite registar e reproduzir..." e não é preciso dizer mais.

Se no caso da Música não há grandes traços genéticos que me tenham sido transmitidos, já na Fotografia, há aqui uma herança. O meu pai, era um excelente fotografo amador. Desde pequeno que me habituei a conviver com ele, e claro com a sua máquina Pentax. Chegava a ser exaustivo na hora dos retratos, ou melhor quando olhava para os filhos e via que a luz era perfeita. Maçava tanto detalhe. E fez slides. Lá em casa havia (há) um reprodutor de slides, e passei horas a ver carros no ar no Rally de Portugal. Estava-lhe no sangue. Ao meu irmão, não lhe reconheço jeito particular, herdou outras coisas. Eu, bom, eu tive uma namorada que uma vez me ofereceu uma máquina fotográfica. Nesse mesmo ano, fomos à Suíça. Não mais larguei a máquina. Até ao nascimento dos meus filhos fiz milhares de fotografias, estudei um pouco o tema. Desde o nascimento do meu primeiro filho, a minha querida Nikon avariou, ou melhor emperrou. Trabalha, mas a custo, sobretudo movida a paciência, que me falta. Pouco ou nada tenho fotografado. Planos muitos, sobretudo para comprar nova máquina, e voltar a andar sempre com ela.

Tenho para mim que é uma arte solitária. No sentido em que fotografo para mim, para meu gosto pessoal. Afinal eram os meus olhos, a minha visão, no meu momento. Se calhar por achar que é um acto solitário gosto tanto. Claro que todos gostamos que nos digam que uma foto nossa é fantástica. Mas o objectivo era o meu gáudio.

Aqui, neste fantástico mundo, gostei muito de ver que quase todos vós juntam, ao post, uma foto. O que de facto, significa que todos vocês valorizam a fotografia, tal como eu, como forma de arte. Cada post acaba por ser a demonstração de duas formas de arte, as letras e a fotografia. Outras vezes música, o que também é excelente.

Deixo-vos aqui alguns trabalhos (de um portefólio extenso), certamente haverá melhores. Resolvi não incluir retratos, pois há época fui solicitado por muitos amigos para, no maior amadorismo, fazermos algumas sessões. Estou pois devidamente autorizado, até porque, já foram alvo de publicação noutras bandas. Mas, o retrato tem sempre um cunho pessoal demasiado forte, de quem fotografa e de quem é fotografado.

Como veem, puro amadorismo, mas que me trouxeram excelentes sentimentos, num acto perfeitamente intimista.

 
Berlengas
 
 
Bruçó, Mogadouro, Trás-os-Montes

 
Pavão, Serra do Montejunto

 
Veneza, Itália

 
Bairro Judeu, Sevilha, Espanha
 

6 comentários:

  1. Tens fotos fantásticas.
    Aconselho-te vivamente que ponhas em prática o plano de comprar uma nova máquina, o quanto antes. :)

    Eu tenho um blog de fotografia. Sofrível diga-se de passagem, não tenho jeito nenhum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado.
      Tenho que ir ver isso, da máquina nova e do teu blog :)

      Eliminar
  2. Que magníficas fotografias.
    Gosto muito delas a preto e branco.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado.
      O preto e branco funciona muito bem. Mas sabes captar a cor é, no meu amadorismo, muito mais difícil.

      Eliminar
  3. Já eu não tenho jeito nenhum para coisa...

    Mas gosto de ver boas fotos...
    ...como estas, por exemplo...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jeito tenho pouco, curiosidade muita :)

      Eliminar