"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Pôr e nascer

Acerca da demanda de fazer diferente.

Pôr do sol é amor, é apaixonado, é reflexão e espiritualidade. Fica inevitável a melancolia, é uma morte lenta do sol nas costas do oceano. Rima com acabar, terminar e encerrar. Tudo verbos pobres e de fim. Segue a noite.

Nascer do sol é amor, é apaixonado, é reflexão e espiritualidade. Fica inevitável a alegria, é a vida do novo sol nas costas da serra. Rima com  brotar, desabrochar e manar. Tudo verbos ricos e de princípio. Segue o dia.

7 comentários:

  1. conta corrente, fizeste-me lembrar que, na generalidade, o período pior do dia para quem tem depressões e afins é entre as 17h00 e as 20h00. Quando o dia morre para dar lugar à noite. Altura em que as cidades e o que está à volta abranda o ritmo, perde fulgor.

    Mas a primeira frase serve para ambos. Sim, concordo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é triste por vezes o fim... do dia?

      Eliminar
    2. Olha, de certa forma há alguma susceptibilidade em mim nalguns dias, naquele período que referi.
      Talvez mais melancolia.

      Eliminar
  2. Boa tarde!
    Conta Corrente,
    É um círculo vicioso bonito de se ver. Sem dramas e sem querer atribuir significados. Saber apreciar as pequenas, simples e bonitas coisas da vida - tão grandiosas, no fundo - contemplar, só porque sim.
    Porquê complicar e tentar arranjar sempre razões/justificações para tudo e mais um par de botas?

    [cheguei aqui pelo blogue da Isabel :)- desculpe a intromissão]

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá e muito benvinda :)

      Estou de acordo são ambos ciclos lindos e naturais. E não se pretende complicar. Mas tenho sentido isto ao ver ambos. O nascer dá-me outro tipo de energia.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Oh Laura eu também, sem dúvida.
      Só acho que o nascer ainda é um mistério para muitos.

      Eliminar