"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Onde está a mulher

Onde está a mulher
a quem eu disse que não amava, mas que ia lutar por mim e ganhar.
Onde está a mulher
a quem eu disse que podia ter um qualquer e me disse que me queria a mim, que eu não era qualquer.
Onde está a mulher
a quem eu disse que estou a adorar descobrir para lá da maquilhagem e da linda figura pública.
Onde está a mulher
a quem eu disse que o melhor estava a ser descobrir a sua força e garra contagiantes.
Onde está a mulher
a quem eu disse que tudo ia fazer por te amar, e depois iríamos arrumar as nossas vidas.
Onde está a mulher
que me raptou por dois dias, numa demonstração de loucura e amor.
Onde está a mulher
que me enche de carinho, e me mima a cada gesto.

Onde está a mulher
que me beijou.

Onde está a mulher
que me ama.

Onde está a mulher
que dançou o tango comigo.

Não desistas já de mim.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Olha em todos os sentidos.

      No facto de ser inconstante. E na capacidade de voar aparentemente. Dois dias... Nem telefone nem mensagens...

      Eliminar
  2. Pá, podia dizer-te algumas coisas acerca disto...

    Já passei por circunstâncias mais ou menos semelhantes...

    E se quiseres poderei dizer, mas não aqui :)

    Emilia-me :)

    ResponderEliminar
  3. conta corrente, aquelas duas primeiras frases parecem-me estar num eixo diferente das restantes, já que dizes que não a amavas. Isto confundiu-me um pouco.

    O amor em bruto não chega, até é um empecilho. O amor que interessa e preenche faz-se de concretizações, de cumplicidades, de vontades que se entrelaçam. "Lutar por..." parece-me vazio.

    É mau, de má índole é o que quero dizer, alguém desaparecer sem se explicar. Qualquer que seja a relação.
    Contudo, se isso acontece, não creio que quem faz isso mereça que se dê um passo na sua direcção.
    E se a pessoa desaparece é porque já não quer. E depois queremos quem já não nos quer?

    ResponderEliminar
  4. Sabes depois de escrever pensei exactamente isso mesmo. É verdade, não há muito pouco tempo afirmei-lhe que ainda não a amava. Se calhar este texto é reflexo que sim já aconteceu.
    O desaparecimento estou em crer é um ciúme infantil, de uma situação já explicada.
    Vamos ver. Obrigado como sempre pelas tuas palavras.

    ResponderEliminar