"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Choro

Acordei com o teu choro.
Nessa tarde, adormeci no teu regaço.
Era um conforto, e acordei preocupado. 
Seria o princípio do fim?
Ninguém chora por chorar, ou ri por rir.
Perguntei.
Sem resposta, recebi um abraço.
Enxuguei as tuas lágrimas.
Continuei sem respostas.
Seria o princípio do fim?
Seria o fim outra vez.
Depois das tardes no Jardim, fugiste.
Anos mais tarde reencontro.
Voltamos a partilhar a cama.
Voltei ao teu colo.
Essas lágrimas, eram o teu medo.
O teu medo que agora fosse eu a fugir.
Era mesmo o princípio do fim.
Porque eu fugi.
Antes não o fizesse.
Agora sou eu que choro.
Choro enquanto outras dormem.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Por duas vezes já.
      Da primeira vez fugiu ela (Ainda falta vir o mundo, post desses tempos de adolescência)-
      Da segunda há 12 anos, fugi eu...
      Não há duas sem três? Ou há?

      Parabéns pelo seu belíssimo blog À Esquina da Tecla.

      Eliminar