"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

domingo, 21 de agosto de 2016

Verão azul finalmente

Não, não é sobre a série de televisão da minha infância.

É sobre uma coisa bem mais simples. Sempre quis ter uns óculos de sol azul espelhados. Lentes azuis espalhadas armação normal preta.

A sociedade sempre me vedou isso... quem usava óculos de sol espelhados azuis, verdes, vermelhos, laranja ou amarelos, eram os "bimbos", malta da aldeia, matarruanos, etc.
Em matéria de óculos de sol, aceitava-se óculos escuros com lentes escuras da Carrera, Ray Ban e pouco mais. Era muito aceitável socialmente (seja lá isso o que for) Ray Ban de lentes verdes e armação em dourado! Felizmente safei-me socialmente pois o meu querido pai brindou-me com uma Ray Ban originais de 1974... Lentes verde escuras e armação dourada. E assim em matéria de óculos de sol eu era socialmente aceite!

No início deste verão o meu vizinho do terceiro andar, insuspeito de ser "bimbo", apareceu ao pé mim com óculos azuis espelhados, armação incolor. E eu pensei: "Sério! Ora aqui está!". Ora aqui está, uma análise mais atenta ao mundinho à volta de mim... E foi ver milhares de jovens, e menos jovens, de óculos de sol espelhados, sobretudo azuis. Comprei uns claro. O verão ficou azul e socialmente aceite na mesma.

NOTA: o socialmente aceite é ridículo... a pressão social é ridícula! O que há uns anos era matarruano é hoje um obrigatório social - irra mundo estúpido.

Sem comentários:

Enviar um comentário