"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Olhos azuis

Olhos azuis, os teus, são onde tudo começa e acaba para mim. Podiam ser o mundo, só esse azul indefinido. É o que me basta para viver. Basta-me isso. São o meu alimento, a minha roupa, o meu conforto, são a minha certeza de que nada é por acaso.
Não olho esses olhos para ter ver por dentro. Não dá, não consigo, sobre ti nada me dizem. São paredes azuis. Olho esses olhos num profundo acto de egoísmo. São para mim, basta-me isso.
Não quero saber o que escondem. Verdades, mentiras, alegrias e tristezas, uma pessoa má ou boa, o sofrimento de um passado perturbado, um futuro alegremente ridículo. Não quero saber.
São meus, foram criados para meu deleite, são a prenda de Deus para mim.
Se fugires... morro... de todas as formas.

Sem comentários:

Enviar um comentário