"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

sábado, 27 de agosto de 2016

O ginásio já não é para o gordo.

O ginásio já não é para os gordos. Aquilo agora é uma cáfila* de vaidosos* a fazer coisas em círculo ou oval, mas dizem circuito. Gordos nem ver ali, destoam.

Agora o ginásio é para magros, de barba e cabelo curto. Profissões variadas, ou não, como militares e ex-militares, arregimentados da psp e gnr, securitas e similares, surfistas, malta ligada ao comércio em geral (leia-se vendedores de fatinho que compraram fatos 46 na primark e agora têm de lá caber), e uns 1o% de gente quase normal, e desempregados, pois sempre é melhor estar desempregado com um six pack e bíceps visíveis.

Nelas, temos gajas mais ou menos compactas (que fazem todos dias para serem toleradas e não explusas), meninas abismadas com o termo índice massa gorda vs índice massa muscular, gajas que só lá vão porque os maridos não as deixam ter balança em casa (e bem), gajas que os maridos mandam para ali suar para ficarem bonitas enquanto eles estão com as amantes, 10% de gajas mais ou menos normais, gajas que acham que ter um corpo como a Maria de Lurdes Mutola é hipster (moderno vá). Para mais informações sobre a Mutola, ask Google, escrever Mutola, clicar em imagens, e depois ver esse fantástico corpo tão feminino.

Tantos elas, como eles, só falam de tempos, de burppes, squats, pushups, jackknives, pistols e situps. Depois juntam números para referir a quantidade. O ginásio chama-se Box e a modalidade Crossfit! Não há certezas. A maioria, senão todos, não perdem uma prova de corrida ou trial (correr onde as cabras andam), e praia. Para mostrarem a sua evolução ao mundo, na certeza de que o mundo se preocupa. Não há certezas. É proibido falar em português, portanto se algum atleta disser flexões em vez de pushups, agachamentos em vez de squats ou abdominais em vez de situps, à terceira infracção é expulso, se for gordo é à primeira. Como vêem um léxico elaborado. Não se atrevam a mencionar coisas do passado, como fitness, ou cardio, ou musculação... não são gordos, mas são velhos. Já ninguém corre, faz running, já ninguém anda de bicicleta, faz spinning,  ok?

O instrutor (desculpem, agora é coach), mas pronto, o instrutor limita-se a gritar palavras de ordem anti colesterol , bem ao estilo, de Stanley Kubrick com o seu sargento em Full Metal Jacket (um bocadinho de Cultura só para... enfim). Aliás a prova oral, e sem a qual ninguém é coach, é uma imitação do Gunnery Sargent Hartman. (Mais uma vez Google pesquisar Sergent Full Metal Jacket é logo o primeiro vídeo... não dá para falhar).

Há espelhos em todo o lado, televisões  (quer dizer LCD's, enganem-se e são corridos), e frases motivacionais para não ficarem gordos. Também há cenas à venda para não ficarem gordos. Portanto, nada de gordos, dão má fama à casa, quer dizer à box.

Como o léxico desta corja não é vasto, nem é português, juntam-se em grupo mesmo fora da Box, assim o esforço é menor para aparentarem conversas inteligentes.

Mas afinal porque é que os gordos não podem? Caríssimos, esta cáfila só lá anda para no final tirarem fotos (selfies ou groupies) aos abdominais, bíceps e ombros para porem no Facebook e Instagram. Convenhamos, mostrar o six pack com dois amigos, uma gaja loura e um gordo tipo boneco da Michelin não é estético.

Como muito provavelmente os leitores deste post não serão os habituais, as minhas desculpas aos habituais pela pobreza do mesmo.

*1 cáfila | cá.fi.la | ˈkafilɐ
nome feminino
1.grupo de camelos
2.conjunto de mercadorias transportadas emcamelos, no interior da Ásia e da África
3.pejorativo corja, súcia
cáfila in Dicionário da Língua Portuguesa sem Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2016.
*2 vaidoso /ô | vai.do.so | vajˈdozu
adjectivo
1.que tem vaidade
2.presunçoso
3.orgulhoso
nome masculino
pessoa que tem vaidade ou orgulho
vaidoso in Dicionário da Língua Portuguesa sem Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2016.

NOTA:
Façam exercício, por favor. Eu faço, com folga à quarta e ao domingo. Faz bem ao corpo e à mente, é um brutal clichê, mas faz. Gosto muito. Já corro 8km sem grande dificuldade. Nos 3km em breve poderei candidatar-me a qualquer força especial, estou quase a baixar dos 12 minutos. Entre as corridas dia sim dia não, faço uma tonelada de exercícios (há boas App's com workouts e vídeos explicativos, i. e. como fazer as flexões e os agachamentos e afins), isto resultará num corpo mais saudável e num six pack fabuloso (está quase). Tudo isto feito sozinho na parte da corrida, os exercícios feitos na rua (qualquer parque infantil) sozinho ou acompanhado de mais 2 a 3 malucos. E esta história do exercício acaba aqui. Faz a sua boa função e termina aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário