"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Linhas

Podemos passar toda a nossa vida a desenhar linhas no nosso pensamento. Ou então, podemos passar a vida a saltar as nossas linhas e as dos outros.

Há gentes assim. Gentes que se perdem no próprio pensamento, gentes que gastam lápis incontáveis a desenhar linhas de si. Gentes que não vivem, com medo do mal e do bem, pois então. São gentes de gritos em silêncio.

Há gentes assim. Gentes que não usam lápis nem borracha. Gentes que arriscam o saltar das linhas pensadas. Gentes sem medo para o bem e para o mal. Gentes de arte, de escrita e de música. São gentes que gritam bem alto.

E que gente sou eu? Tem dias gentes... tem dias.

4 comentários:

  1. Uma vez decidi que nunca mais ia deixar nada por dizer.
    Depois veio a realidade e pôs-me no meu lugar.
    Agora sou novamente um repositório de palavras não-ditas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla não sejas um repositorio de palavras não-ditas! Escreve-as antes, é quase terapêutico. Se não digo, escrevo.

      Eliminar
    2. É o que faço. Mas escrever às vezes não chega. O diálogo era essencial.

      Eliminar
  2. Será sempre assim... a vida não se basta à palavra escrita. Precisamos sempre de outro, é da nossa natureza.

    ResponderEliminar