"Se eu te pudesse dizer
o que nunca te direi,
tu terias que entender
aquilo que nem eu sei."
Fernando Pessoa

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Amor é likes

... e não é no facebook.

Não é daquele amor em que há apenas uma atracção física, a necessidade de matar um desejo carnal... não é isso, isso existe e acontece. Mas se for uma relação baseada nisso esgota-se rápido... 2 a 3 vezes na cama e está visto.

O tema é amar alguém com quem partilhamos os mesmos gostos, ideias, desejos e vontades, ou não. É possível amar nos dois casos... ou talvez não.

Quando se ama alguém com gostos diferentes é bom. No início haverá cedências para agradar ao outro. Mudaremos aspectos nossos para estarmos unidos ao outro é certo. Iremos mostrar todo o interesse em temas novos só para agradar ao outro. Com o tempo, e tendo em conta o amor, ambos se adaptam um ao outro.

Passam meses, passam anos, e começa a renascer uma vontade de voltarmos aquilo que nós gostamos, aquilo que efectivamente nos preenche, aquele desejo de fazer o que não fizemos porque estivemos "ocupados" a agradar ao outro... Se amarmos muito o outro, poderá durar uma vida, pondo de lado a nossa própria identidade. Não é bem um viver pleno, será sempre um vamos andando, faltará sempre qualquer coisa... será uma "vidinha", andámos por cá sempre a coxear.

Depois há uma outra opção, encontramos alguém que nos preenche em tudo, e nós ao outro claro. Será impossível? Deve haver casos destes, poucos certamente. Sim, provavelmente será para sempre.

Claro que isto deve ser só o meu egoísmo a falar... se quiserem podem culpar o meu mau feitio.

Afinal nada disto é assim tão básico, ou é?

Sem comentários:

Enviar um comentário